Há alguns anos, era impossível imaginar que poderia haver uma comunicação à distância com sistema sonoro e visual em tempo real, de alta qualidade e com compartilhamento de dados. Mas atualmente, com os avanços da tecnologia, já existem muitos tipos de videoconferência que atendem a diferentes necessidades, trazendo benefícios tanto para o campo empresarial, como para a educação, medicina, entre outros.

Além disso, a videoconferência entra no mercado com a função também de economizar. Ou seja, é um método que ajuda a economizar em vários aspectos: tempo, dinheiro e facilitar a comunicação e os sistemas interpessoais.

História da Videoconferência

A videoconferência é a forma mais evoluída da comunicação. Antes do século XVIII, ninguém conseguia se comunicar à distância e o telégrafo foi a primeira invenção que surgiu para mudar essa situação, criado em 1835 pelos americanos Joseph Henry e Samuel Morse. Os telégrafos eram aparelhos usados na transmissão de mensagens gráficas, baseadas no sistema de pontos e traços na codificação das mensagens. Ou seja, não era possível ouvir a voz de quem estava do outro lado, as letras, números e sinais eram representados através de um sinal codificado.

Mas por não ser nada prático, o telégrafo foi substituído pelo telefone, o qual deve ter sido criado pelo italiano Antonio Meucci, em 1860. O telefone foi feito para transmitir sons por meio de sinais elétricos nas vias telefônicas. Ele permite que a energia acústica seja transformada em energia elétrica no ponto transmissor e o contrário, no ponto receptor. E graças a toda essa conversão de energia, é possível obter a troca de informações entre os dois lados.

Depois da invenção do telefone, surgiu, em 1899, a radiotransmissão, que acontecia através de ondas eletromagnéticas, possibilitando as transmissões de voz. Mas, desde então, já se faziam muitas pesquisas em relação à imagem e foi no início do século XX que chegou à conclusão de que o Selênio tinha a propriedade de transformar energia luminosa em energia elétrica, sendo possível formular a transmissão de imagens por meio da corrente elétrica. A partir de então, além da radiotransmissão, havia também a televisão. Mas somente em 1920 foram exibidas as primeiras transmissões.

E para quem pensa que nessa história toda, os computadores são relativamente “novos”, está completamente enganado! Lá em 1833, foi criado o primeiro computador; porém ele era utilizado através da tecnologia de cartões perfurados e funcionava a vapor. A invenção não deu muito certo, mas a ideia continuou ao longo dos anos e, em 1946, foi criado o primeiro computador eletrônico, que executava as operações mediante instruções em linguagem eletrônica. Mas era aquele conhecido como “trambolho”, que pesava em torno de 27 toneladas.

  • Depois disso, a ideia foi passando por evoluções: os computadores começaram a se conectar a outros, surgiu a ARPANET (a precursora da Internet), cresceu a possibilidade de uma rede mundial... Até que em 1970 “nasce” a Internet e logo em seguida o correio eletrônico, os vírus e as conexões entre diferentes países.
  • Em 1975, Bill Gates fundou a Microsoft, uma empresa multinacional de tecnologia em informática, que se dedicou a desenvolver, fabricar e produzir softwares e equipamentos eletrônicos, possibilitando que, na década de 80, todos pudessem ter seus computadores pessoais. E a partir dos anos 80 a evolução foi ainda mais rápida: surgiram novas tecnologias, novos computadores, softwares, programas e tudo que estamos acostumados a ver e usar atualmente.

Mas e a videoconferência?

A videoconferência surgiu graças à invenção da televisão, onde as conferências analógicas se tornaram possíveis. A partir de então foram evoluindo e surgindo novos sistemas. O primeiro foi criado em meados de 1964, onde se podia visualizar fotos sem movimento ao mesmo tempo em que era possível ouvir a voz do interlocutor. Porém, não foi uma novidade muito bem aceita.

Depois, criaram-se os sistemas Freeze Frame (congelamento da imagem da TV quadro a quadro) e o slow motion (câmera lenta), uma tentativa frustrada, pois trazia um certo desconforto para quem estava assistindo.

Mas os estudos e pesquisas continuaram, até que se introduziram aos sistemas técnicas de compressão adequadas, as quais ganharam mais impulso a partir da criação de um consórcio europeu, em que duas empresas investiram em CODECS – codificadores/decodificadores – equipamento responsável pela compressão dos dados que são desenvolvidos para sistemas de videoconferência, em velocidades que cobrem a faixa de 1.544 kbps a 2.048 kbps.

Kbps Conceito

Depois do investimento em CODECS, a atenção foi voltada para o desenvolvimento de CODECS que operassem em faixas de velocidade inferiores às propostas anteriormente, pois isso possibilitaria o aproveitamento de canais com largura de faixa estreita, com boa qualidade e com um custo menor.

Nos anos 90, a videoconferência ganhou um novo sistema, o CUSSEME, quando já era possível fazer a transmissão combinando os equipamentos aos próprios computadores pessoais. Sendo assim, não era mais necessária toda aquela aparelhagem. A partir disso, foram desenvolvidos outros sistemas e através do aperfeiçoamento técnico, da tecnologia digital e da oferta universal de linhas adequadas para a implementação pelas companhias telefônicas, já é possível obter diversos tipos de videoconferência com alta qualidade.

O que é Videoconferência?

A videoconferência é um sistema que permite a comunicação com áudio e vídeo, simultaneamente, através de equipamentos e programas. É o sincronismo da transmissão e recepção, sendo possível manter contato com pessoas de qualquer lugar do mundo, em tempo real.

Muitas vezes, a videoconferência é confundida com a teleconferência, mas a diferença é simples: na teleconferência não é possível a conversa entre duas vias, ou seja, por mais que a imagem seja passada em tempo real, não ocorre um diálogo entre o emissor e o receptor. Já na videoconferência é como se você realmente estivesse conversando pessoalmente, pois você pode ouvir, ver e manter um diálogo.

Por conta dessa grande evolução no campo tecnológico grandes empresas aderem à videoconferência, pois é possível realizar reuniões com pessoas do mundo inteiro, como se todos estivessem realmente em uma sala. É uma ótima ferramenta de trabalho, que ganha cada vez mais importância no mercado, pois ajuda na tomada de decisões do dia a dia, melhora a eficiência e aumenta a produtividade das empresas. Esse é apenas um exemplo e para saber como a videoconferência pode ser usada acesse: Para que serve a videoconferência?

Como funciona?

O sistema de videoconferência possui a função de captar e comprimir os sinais recebidos de áudio e vídeo, para que sejam transmitidos sobre as redes de telecomunicação. O codificador/decodificador é um dispositivo de hardware ou software que codifica o som e a imagem e que se apresentam em dois tipos: o lossless (sem perdas), e o lossy (com perdas).

  • Lossless: ao codificar o som e a imagem para comprimir o arquivo, não se alteram, ou seja, chegam ao receptor da forma original.
  • Lossy: no processo de codificar o som e a imagem, ocorre a perda de qualidade, mas com o objetivo de alcançar maiores taxas de compressão.

Através do que é realizada a videoconferência?

Os principais sistemas de videoconferência utilizam linhas digitais do tipo ISDN e IP.

ISDN IP Conceito

Banda Larga: hoje, já é possível também fazer a videoconferência pela própria internet de banda larga, porém a qualidade não é garantida, a imagem pode sofrer interrupções e por ser uma rede aberta, não há garantias de que os pacotes de informação chegarão ao local certo e de maneira correta.

Tipos de Videoconferência

A videoconferência é dividida em dois tipos: Ponto a Ponto e Multiponto. Conheça um pouco mais:

  • Ponto a Ponto

Utiliza apenas duas unidades de videoconferência, ou seja, a comunicação é somente entre duas pessoas, ou entre dois grupos.

  • Multiponto

É um sistema mais complexo que utiliza mais de duas unidades de videoconferência, permitindo sessões simultâneas entre mais de duas pessoas ou de dois grupos. O equipamento usado nesse tipo de conferência é denominado como Multipoint Control Unit (MCU), que pode ser uma unidade à parte ou já embutida no equipamento de videoconferência. A capacidade da multiponto é medida em número de portas, ou seja, conexões simultâneas e a velocidade possível para cada porta.

O que é necessário para videoconferência?

Equipamentos que se comunicam através dos protocolos H.323 e H.320, disponibilidade de tecnologia IP ou ISDN, codec, câmera, microfone, monitor (ou lousa eletrônica), caixas de som e controle remoto (para ligar/desligar componentes, orientar a posição da câmera, fazer a ligação, entre outros).

O que pode interferir na imagem da videoconferência?

A capacidade da banda, ou seja, a velocidade. Quanto maior a banda, melhor a qualidade.

Videoconferência em Desktop

Para realizar a videoconferência em Desktop basta ter conexão à internet, webcam e microfone. O restante é feito através da inclusão do software e do hardware que já vêm instalados nos computadores pessoais.

  • Videoconferência Skype: O skype é o software mais utilizado para realizar videoconferência de computadores pessoais, através de conexões de VoIP (voz sobre IP). É totalmente gratuito e disponível em 27 idiomas.
  • Dimdim videoconferência: A Conferência Web Dimdim é um programa que realiza a videoconferência através da webcam e do microfone sem precisar descarregar ou instalar qualquer software, baseado 100% no navegador (Internet Explorer, Google Chrome, Mozilla Firefox etc), além de poder compartilhar mensagens escritas, slides e o ecrã do computador.

Para que serve a videoconferência?

A comunicação passou por um grande avanço após o surgimento da videoconferência, trazendo benefícios tanto para o campo empresarial, como para a educação, medicina e até para as relações pessoais.

Campo Empresarial

Muitas empresas utilizam os serviços da videoconferência para realizar reuniões à distância, que muitas vezes envolvem pessoas e equipes de diversos lugares do mundo. Sendo assim, não precisam sair de onde estão para resolver ou decidir algo. Uma ótima opção para economizar tempo e dinheiro.

Além disso, é uma forma de manter o gerenciamento de unidades de negócios que estão sendo incorporadas à determinada organização e acelerar a produção e/ou desenvolvimento da empresa.

Atualmente, até o treinamento de funcionários se tornou mais rápido e prático por conta da videoconferência. Vejamos um exemplo: uma empresa possui filiais em quatro estados do país e em todos eles há novos funcionários que precisam passar pela fase de treinamento. Ao invés do “treinador” ir de estado em estado, ensinar equipe por equipe, é muito mais vantajoso para a empresa fazer uma videoconferência e executar o trabalho com todos ao mesmo tempo.

A realização de entrevistas e recrutamento de funcionários, principalmente quando são de outro país e/ou estado, através da videoconferência, também é outra forma eficaz e cada vez mais comum de utilizar o sistema.

Videoconferência na Educação

Para a educação a videoconferência também proporcionou muitos benefícios, pois aumentou a disseminação da informação através de cursos e palestras e permitiu o acesso de estudantes que se encontram afastados dos centros educacionais.

Mas não se pode confundir a videoconferência com a teleconferência, que é ainda mais comum no campo da educação: o professor ou palestrante se apresenta em um estúdio de televisão e fala “ao vivo” para os receptores, que recebem a imagem em um aparelho de televisão (conectada à uma antena parabólica sintonizada em um determinado canal), ou através da internet. Porém, nesse tipo, não há a interação como na videoconferência, em que o professor e os alunos conversam, trocam informações e tiram dúvidas. Hoje é comum ver o uso da videoconferência em cursos de graduação, pós-graduação, técnicos, preparatórios para concursos, etc.

Além do professor poder explicar os conceitos, a videoconferência também permite que ele use alguns recursos pedagógicos como a projeção de vídeos, gráficos, imagens, arquivos no computador, proporcionando uma aula mais completa e com mais qualidade.

As aulas por videoconferência também são uma boa opção para a capacitação de profissionais e para quem deseja fazer um determinado curso que não é ministrado no local onde vive. Por exemplo, um estudante da Bahia deseja fazer um curso que está acontecendo em São Paulo, mas pela distância e por questões financeiras, não será viável ir para lá. Se ele achar um curso, instituto, universidade, ou qualquer outro local que vá transmitir as aulas por videoconferência, ele poderá realizar e concluir o curso da mesma forma, mesmo morando na Bahia.

  • Além disso, a videoconferência também tem sido uma forma para que os centros de pesquisa possam trocar informações e experiências de grande valor educacional.

Videoconferência na Medicina

A videoconferência também faz parte do avanço na área da saúde, pois permite que médicos situados em outros locais façam parte de consultas, exames e cirurgias. Normalmente, o aparelho utilizado para fazer o exame possui uma câmera que transmite a imagem para o médico que está do outro lado, que pode orientar, diagnosticar, conversar com o paciente, entre outros.

Outra forma que a videoconferência também contribui para esse campo é através das sessões organizadas pelas universidades, que contam com a participação de equipes formadas por médicos, especialistas, estudantes e médicos residentes, que assistem através da videoconferência algo relacionado à medicina, como cirurgias e exames. Com base naquilo que assistem, organizam discussões e debates, resultando em altos níveis de integração e conhecimento.

Relações Pessoais

Há alguns anos não imaginávamos que um dia seria possível ver em tempo real amigos e familiares de qualquer lugar do mundo e, muito menos, falar ao telefone e ver a pessoa ao mesmo tempo. Mas hoje, isso já não é mais nenhuma novidade.

A videoconferência contribui não só para o desenvolvimento de empresas, da educação e da medicina, como também estreita laços. Não importa a distância: tendo um computador com webcam e microfone, ou um celular que realize a videoconferência, é possível ver e conversar com pessoas de qualquer lugar e a hora que quiser. Essa é uma boa forma de se aproximar de quem está longe, de matar a saudade e é até uma forma, aliás muito utilizada, de conhecer pessoas e fazer nascer novos relacionamentos!

Curiosidade...

Apesar de não ser um apresentador, a pessoa ou equipe que estiver do outro lado da tela, durante a videoconferência, deve seguir algumas regras para que a transmissão seja realizada de forma excelente. Veja algumas dicas:

  • Evitar roupas totalmente escuras, com cores muito berrantes, com muitas listras ou estampas.
  • Posicionar-se sempre para a câmera e estar bem enquadrado.
  • Estar em um local bem iluminado.
  • Tomar cuidado para que partes do corpo não sejam cortadas.

Aulas e Palestras

Mesmo não parecendo, na hora da transmissão alguns detalhes na posição tanto do indivíduo, como da câmera, fazem diferença em relação ao dinamismo da aula.

  • Plano aberto ou geral: indicado para momentos neutros (exemplo: enquanto espera a resolução de exercícios).
  • Plano mais fechado (da cintura p/ cima): usado quando o professor estiver ministrando, conversando e debatendo com os alunos.
  • Plano bem fechado (parte superior do peito e rosto): quando o professor quiser ter mais proximidade com os alunos, ou ressaltar algo muito importante.

Dica: A melhor forma de dar dinamismo à transmissão é programar posições de câmeras diferentes.

Marcas para Videoconferência

Existem empresas que oferecem uma ampla gama de sistemas de videoconferência, desde os mais simples aos mais complexos e há também as que oferecem todo o serviço: estudam o caso do cliente, pesquisam, escolhem e instalam a melhor opção, além de dar todo o suporte técnico.

Mas para garantir uma videoconferência de qualidade, é fundamental ter bons aparelhos. Veja aqui as principais marcas e suas características:

  • Tecnologia de ponta;
  • Design moderno;
  • Alta qualidade de vídeo e som;
  • Conexão ultrarápida;
  • Gravação audiovisual para memory stick;
  • Videoconferência multiponto para até 10 lugares usando um MCU opcional;
  • Reuniões seguras por AES (Advanced Encryption Standard);
  • Capacidade de compartilhamento de dados; Suporte a memory stick;
  • Controle remoto de fácil uso; Funções intensificadas de QoS (Quality of Service);
  • Display com o nome do local;
  • Padrão de visualização flexível em todos os locais.

 

  • Equipamentos HD (imagem e qualidade de som inigualável);
  • Compatível com padrões (pode trabalhar com todos os equipamentos de videoconferência que correspondam aos requerimentos globais).

 

  • Tecnologia de ponta OmniSoundTM, reproduz um som sem ruídos, cristalino;
  • Alta qualidade aos telefones para audioconferência da marca;
  • Konftel 300: capacidade de gravar as reuniões através de memory card SD, conferir à sua conexão maior flexibilidade e o aparelho pode ser conectado a telefones celulares, skype, linhas analógica e VoIP, por ter um seletor que permite diversas combinações de conectividade.

 

  • Primeira empresa que desenvolveu a videoconferência por uma rede IP;
  • Especialista em integração de sistemas;
  • Produtos com soluções multiponto e streaming;
  • Todos seus produtos têm o foco de otimizar a transmissão de dados e as redes convergentes, o que facilita a assistência remota;
  • HD3000: combina streaming de vídeo, conferência multiponto e videoconferência, aumenta o alcance de qualquer uma delas ponto a ponto ou multiponto, possui várias maneiras de transmiti-la ao vivo, tanto pela internet, como pela rede coorporativa.

 

  • Alto-falantes e microfones duais que fará você ouvir cada pessoa em estéreo, com nitidez, compreender com facilidade múltiplas conversações simultâneas e experimentar um som puro e rico.

 

  • Líder em soluções empresariais triple play;
  • Tem toda a integração necessária para a entrega de serviços de vídeo através de rede IP;
  • Soluções de IPTV, incluindo softwares de gerenciamento de serviços, sistemas de storage, encoders de vídeo e sistemas digitais de conversão.

  • Cria inovadores e interessantes produtos para integração de salas, incluindo controle de rede, projetores, painéis, amplificadores de áudio, gravação de aula, apresentações ou reuniões, microfones, internet sem fio e ferramentas de conectividade.